Benefícios da aprendizagem musical no desempenho académico de alunos portugueses

Lisete Mónico, Carlos Santos-Luiz

Resumo


A aprendizagem musical encontra-se associada ao rendimento académico, embora alguma literatura não suporte esta associação. A presente investigação tem como objetivo analisar a opinião de diretores de escolas nas quais se leciona o Ensino Artístico Especializado de Música e seus professores quanto à influência da aprendizagem musical no desempenho académico de alunos que frequentam este tipo de ensino. Realizámos uma análise de conteúdo às respostas de quatro diretores e de vinte professores de alunos que frequentam os Cursos Básicos de Música e de Canto Gregoriano do 3º ciclo do Ensino Básico português. Das 24 unidades de análise definimos Unidades de Registo, que resultaram numa classificação em três categorias: (1) Indeterminação causa-efeito entre aprendizagem musical e desempenho académico, (2) Benefícios não musicais não exclusivos da aprendizagem musical e (3) Benefícios não musicais decorrentes da aprendizagem musical, representando esta categoria 89.6% das Unidades de Registo dos diretores e 93.0% dos professores. Os benefícios no desempenho académico foram enunciados em segundo lugar pelos diretores e em último pelos professores, comparativamente aos ganhos em dois outros domínios emergentes na terceira categoria: desenvolvimento social e pessoal e capacidades cognitivas. Concluímos que os efeitos da aprendizagem musical indicados pelos diretores e professores se estendem muito para além dos benefícios no desempenho académico. Os resultados foram discutidos atendendo à influência que a função profissional dos respondentes poderá ter na apreciação sobre os efeitos da aprendizagem musical no desempenho académico, bem como no desenvolvimento social e pessoal e nas capacidades cognitivas. Os resultados do nosso estudo vão ao encontro da literatura que refere os benefícios não musicais decorrentes da aprendizagem musical. 


Texto Completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.