A importância da abordagem qualitativa na determinação dos conceitos prévios dos alunos

Sofia Catarreira, Luis García, Ricardo Luengo González, Vitor Godinho Lopes

Resumo


Este artigo pretende realçar a importância da análise qualitativa na determinação dos conceitos prévios que constituem o suporte da elaboração de uma unidade didática baseada na Teoria dos Conceitos Nucleares. Esta teoria teve origem nas investigações realizadas por Casas e Luengo [1] que, baseados nas teorias de Ausubel [2], Novak e Gowin [3], entre outros, vieram alterar alguns pressupostos anteriores. As teorias existentes defendiam que os conceitos são organizados hierarquicamente em redor de conceitos gerais em contrapartida, esta nova teoria difere ao considerar que a estrutura cognitiva dos alunos é organizada em volta de conceitos específicos que não são necessariamente os mais gerais e também argumenta que as estruturas cognitivas dos alunos, ao progredirem, são transformadas em estruturas mais simples. Esta teoria utiliza a noção de "organização geográfica do conhecimento", "conceitos nucleares" e "caminhos de menor custo", e usa a técnica qualitativa das “redes associativas Pathfinder” para explicar a organização do conhecimento. Uma unidade didática baseada nesta teoria requer uma elaboração distinta, sendo necessária numa primeira instância a identificação dos conceitos que se destacam no tema em estudo e é aqui que a abordagem qualitativa assume um papel de destaque. Neste artigo mostramos como se obteve uma lista de conceitos de uma unidade didática sobre a circunferência e os ângulos, realçando técnicas e critérios de atuação. No nosso estudo damos uma nova visão de uma unidade didática, alterando os objetivos, a elaboração e os processos de avaliação da mesma. Esta nova abordagem didática deixa de estar centrada unicamente nos resultados escolares, passando a aliar o estudo das alterações produzidas nas estruturas cognitivas dos alunos. 


Texto Completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.