(Re)configurações nos modos de ser e cuidar em família

Paula Santos, Laura Araújo, Roseney Bellato

Resumo


Este estudo objetivou compreender as reconfigurações nos modos de ser e cuidar tecidas ao longo da vida de uma família proveniente do interior de Mato Grosso. Empregamos a História de Vida e a Entrevista em Profundidade em simultaneidade à Observação. Apreendemos que as relações intrafamiliares, moldadas por fortes laços de afeto, configuraram modos próprios de ser família e de se cuidar, tendo característica matriarcal, de criação transgeracional em que a mãe-avó cuidava, concomitantemente, de filhos e netos. Após o adoecimento desta, a família vai, paulatinamente, reconfigurando seus modos de ser e cuidar e as novas famílias, dos filhos, vão tomando características mais nucleares. Pudemos compreender que o cuidar e o criar se fazem como movimentos simultâneos, amparados por modos próprios de organizar o cotidiano e, nele, o viver em família.

Texto Completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.