A vivência de pessoas em sofrimento mental e alunos de enfermagem em oficina de música

Raphael Lobo Resende, Ligia Souza, Roselma Lucchese, Ivânia Vera, Paulo Alexandre Castro, Lisete Mónico

Resumo


Este artigo pretende expor as experiências de integrantes e discentes no contato com o uso da música e suas potencialidades em grupos terapêuticos desenvolvido em um Centro de Atenção Psicossocial e refletir sobre a conquista de espaço pela música, como opção terapêutica viável para ressocialização e valorização da autoestima de usuários deste serviço. Foram desenvolvidos 10 encontros, com duração de 1 hora e participação de profissionais do serviço, discentes e cerca de 8 a 10 usuários do serviço. Foi utilizado o diário de campo como forma de obtenção de dados, por meio da análise de conteúdo temática e das observações dos coordenadores identificaram-se duas vertentes: superando as resistências e lidando com os sentimentos, com as dificuldades do dia-a-dia e com os sintomas do transtorno mental. Consideramos que trabalhar com aspectos emocionais propiciou uma melhor qualidade de vida aos participantes.


Texto Completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.