Educação para a autonomia em Lares de Infância e Juventude

Judite Zamith-Cruz, Alice Lopes, Maria de Lurdes Carvalho

Resumo


Justificada a preocupação dos profissionais com a autonomia de residentes em instituições de acolhimento de longa duração, realizou-se um Estudo de Caso, documentado por parte de 14 entrevistas semiestruturadas, abertas-fechadas e uniformizadas, dirigidas a educadores e técnicos em Lares de Infância e Juventude (LIJs), situados em Braga – Portugal. Apresentam-se os dados organizados em segmentos de texto comentados, com o recurso ao software MAXQDA12, sobre as suas perceções da individualidade dos mais jovens. Com o código/categoria autonomia, criaram-se subcategorias: Projeto Umbrela, viver outra nova realidade, apartamento de pré autonomia e dificuldades de autonomização, associadas a código experiência acompanhada após saída. Os resultados demonstram que as necessidades não mudam por se viver numa instituição, sendo que a autonomia exije um suporte emocional nas relações prévias de reciprocidade. Conclui-se que, se as normas de um LIJ implicam a organização de espaços e de tempos comunitários estáveis, a proteção do futuro dos ex-residentes valoriza-se na fase de preparação para a independência.


Texto Completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.