Habitar o currículo de outros modos

Angélica Vier Munhoz, Suzana Feldens Schwertner

Resumo


O presente trabalho pretende discutir os resultados parciais do Grupo de pesquisa Currículo, Espaço, Movimento (CEM/CNPq/Univates), que tem por objetivo investigar os espaços e movimentos do currículo. Como campo empírico da investigação busca-se a aproximação com dois museus de arte (Fundação Iberê Camargo/POA/BR e Museu de Arte do Rio/RJ/BR), enquanto espaços não escolares e três escolas (Escola Municipal Porto Novo/Lajeado/RS/BR; Escuela Pedagógica Experimental/Bogotá/Colômbia); Escola Fundamental Agrícola, Florestal e Ambiental/Ilópolis/RS/BR) como espaços escolares. Trata-se de pensar nas possibilidades de habitar o currículo de outros modos, a partir de outros movimentos. Nesse sentido, as noções de liso e estriado de  Deleuze e Guattari (1997) são utilizados como zonas mutantes que conectam matérias, temporalidades, sentidos, superfícies lisas e nômades, espaços provisórios de variações. Percebe-se que ao adentrar o currículo por meio de tais movimentos, torna-se possível criar outras relações entre aprender e saber, aprender e pensar, experimentar e viver.


Texto Completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.