Espiritualidade no manejo da doença crônica do idoso

  • Ana Rocha
  • Suely Itsuko Ciosak

Resumo

Considerando a espiritualidade como parte do conceito de saúde do indivíduo e suas repercussões no viver a doença crônica, realizou-se o presente estudo. Trata-se de um estudo exploratório, com metodologia qualitativa que teve como objetivo identificar e compreender o papel da espiritualidade no manejo da doença crônica do idoso. O método da análise de conteúdo de Bardin foi escolhido para interpretação dos discursos. A análise dos discursos resultou nos seguintes temas centrais: impacto multidimensional da doença crônica, enfrentamento e expectativas dos idosos. Na análise do impacto multidimensional da doença crônica, identificaram-se as seguintes unidades temáticas: impacto no estilo de vida, impacto emocional e impacto socioeconômico. Com relação ao enfrentamento da doença crônica, foram analisados o enfrentamento individual, o suporte social e a espiritualidade/religiosidade/fé. Quanto às expectativas, as unidades temáticas identificadas foram expectativas quanto à saúde e quanto ao sentido da vida. Os resultados evidenciaram as mudanças trazidas pelo diagnóstico da doença crônica e suas implicações na adaptação ao novo modo de vida. O manejo destas alterações é complexo e diversos fatores influenciam positivamente e negativamente no modo de lidar com a nova condição. Os resultados mostraram que a espiritualidade/religiosidade/fé interfere de maneira positiva no enfrentamento dos obstáculos e dificuldades da vida, fortalece a resiliência do paciente, melhorando assim, sua qualidade de vida. Para que o manejo da doença crônica seja bem sucedido, o profissional de saúde atuante na assistência ao idoso portador de doença crônica deve ter a sensibilidade de compreender o idoso dentro de seu contexto cultural e fortalecer o entendimento e responsabilização do paciente quanto a sua condição crônica. 

Publicado
2015-12-07