Contribuições da Inserção do Estudante de Medicina na Estratégia de Saúde da Família em Séries Iniciais do Curso - Percepção dos Egressos

  • Maria Marin
  • Maria Ricardo
  • Marcia Otani
  • Marina Sanches Marin

Resumo

Frente aos movimentos nacionais e internacionais na educação, uma Faculdade de Medicina, localizada no interior do estado de São Paulo, Brasil, mudou seu currículo a partir de 2003, passou a inserir os estudantes em Unidades de Saúde da Família desde a primeira série, com estratégias de ensino baseadas na problematizaçao da realidade, com vistas à sua transformação. Considerando o desconhecimento do efetivo significado dessa vivência para a atuação do médico nos distintos espaços ocupados por esse profissional, propôs-se a compreender tal inserção na ótica dos egressos. Trata-se de um estudo qualitativo realizado por meio de entrevistas com egressos formados nos anos de 2009, 2010 e 2011. A análise dos dados teve como referência a técnica da hermenêutica-dialética. Os egressos consideram que essa inserção possibilitou o conhecimento da organização e funcionamento do serviço de saúde e do contexto de vida dos usuários, facilitou a relação médico paciente, o desenvolvimento do raciocínio clínico e o vínculo. Destacam, no entanto, que a imaturidade do estudante impede maior aproveitamento da vivência. Embora essa trajetória esteja permeada por avanços e desafios, conclui-se que ela se mostra capaz de sedimentar elementos imprescindíveis à formação médica. 

Publicado
2015-12-07