Compreendendo a experiência de cuidadores de crianças com tuberculose em tratamento diretamente observado

  • Fabiane Amorim Almeida
  • Thatiana Silva
  • Maria Áurea Santos

Resumo

Introdução: O elevado índice de infecção pela tuberculose e a resistência ao tratamento associada ao abandono do mesmo levou a Organização Mundial de Saúde (OMS) a introduzir a estratégia de “Tratamento Diretamente Observado” (TDO), em que o profissional de saúde observa a ingestão dos medicamentos pelo paciente. Objetivo: Compreender a experiência vivenciada por cuidadores de crianças com tuberculose ou comunicantes em relação ao TDO. Método: Pesquisa descritiva exploratória, de abordagem qualitativa, desenvolvida no ambulatório do Programa Einstein na Comunidade de Paraisópolis (PECP). Os dados foram coletados por meio de entrevistas semiestruturadas com 13 cuidadores de crianças em TDO para tuberculose, utilizando-se o Discurso do Sujeito Coletivo (DSC) para analisá-los. Resultados: Foram identificados sete DCSs, agrupados em quatro categorias: “Vivendo uma situação difícil", “Mudando a rotina da família”, “A responsabilidade é quase sempre da mãe” e “Buscando-se adaptar-se ao tratamento diretamente observado”. Conclusão: As dificuldades enfrentadas pelo cuidador da criança ao iniciar o TDO modificam significativamente a rotina familiar. A responsabilidade pela sua continuidade é principalmente da mãe, que busca adaptar-se às exigências do tratamento e enfrentar a situação. 

Publicado
2015-12-08