Da Investigação-Ação à Grounde Theory: Experiências de adolescentes do nordeste do Brasil

  • Judite Zamith-Cruz
  • Marly Costa
Palavras-chave: Adolescentes; Escola Famíla Agrícola; Grounded Theory; estratégias de dados mistos; métodos multimodais.

Resumo

No decurso de Investigação-Ação, numa Escola Família Agrícola, no Brasil, se intercala um período em sala de aula, com outro no campo e na casa rural. A análise dos dados orais, visuais e textuais, compreende uma codificação aberta por Grounded Theory. Numa turma do 5º ano, descrevemos e tentamos compreender as emoções decorrentes dos (e nos) modos de vida das 7 raparigas e 9 rapazes, recém-admitidos ou retidos por múltiplas vezes (11-17 anos). Apresentamos os dados para a dimensão "movendo-se com os outros e sentimento de solidão", coligidos “textos” de alegria, tristeza, medo, raiva e solidão. Nas conclusões se explicitam padrões de ação, que enfatizam as características da linguagem e a compreensão do texto, como quando no subgrupo de meninos se dá conta de xingar ele (com palavrões e insultos) ou se deseja outra forma de vida, não agrícola, quebrando um círculo de fracasso, acusação e desvalorização.

Publicado
2019-07-01