Pesquisa com crianças na Comunicação: um relato de experiência

  • Marta Maria Azevedo Queiroz
Palavras-chave: Ciências da Comunicação; Mídias; Crianças; Transmetodologia; Identidades femininas.

Resumo

O artigo é um relato de experiência da pesquisa de doutoramento[1] intitulada Eu não quero ser a mulher saliente! Eu prefiro ser a Isabella Swan! Apropriações das identidades femininas por crianças na recepção midiática, com participação de dezessete crianças, entre dez e treze anos de idade, que teve como objetivo analisar os sentidos produzidos por elas sobre as identidades femininas na recepção midiática. Apresentamos o recorte teórico-metodológico da pesquisa, com fundamento na transmetodologia e multimetodologia (Maldonado, 2012, 2013, 2015). Essa perspectiva parte da compreensão que a realidade e seus processos são apropriados na sua multidimensionalidade e interdisciplinaridade. Assim, recorremos a múltiplas fontes de dados: Diário de Campo, Questionário, Desenho, Produção de Texto, Internet (Google e Redes Sociais) e Rodas de Conversa. Os resultados indicaram fortes relações entre as escolhas das crianças e as identidades femininas veiculadas na mídia, e que estão entranhadas nas experiências vivenciadas na sua cotidianidade.

Publicado
2019-07-08