Determinantes afetivos de cuidar a criança hospitalizada sem acompanhante: um estudo de Grounded Theory

  • Paula Diogo
  • Patricia Baltar
  • Ana Prudêncio

Resumo

Cuidar de crianças hospitalizadas sem acompanhante envolve um relacionamento de tonalidade afetiva que é fundamental para a satisfação das suas necessidades emocionais. Mas não é claro como os enfermeiros promovem o afeto e desenvolvem esta relação terapêutica. Assim, este estudo visa explorar e compreender os determinantes e especificidades da afetividade no cuidar de crianças hospitalizadas sem acompanhante. É um estudo de natureza qualitativa, com recurso ao método da Grounded Theory, partindo da questão “O que determina o cuidado afetivo dos enfermeiros na relação com as crianças hospitalizadas sem acompanhante?“. A amostragem teórica é intencionalmente selecionada. A observação e a entrevista são os instrumentos de eleição para a recolha de dados. Da análise de dados emerge um conceito central – sentimentos parentais dos enfermeiros com intencionalidade terapêutica – que determinam a leitura e interpretação das condições/contexto, as próprias ações/interações e ainda os benefícios do cuidado afetivo. Emerge um Processo Humano-Afetivo de Cuidar a Criança hospitalizada sem acompanhante.

Publicado
2016-07-14