Empoderamento do professor diante do discurso médico patologizante: uma questão curricular

  • Isabella de Cássia Netto Moutinho

Resumo

Este artigo busca descrever o papel do currículo dos cursos de formação de professores no atual processo de patologização das dificuldades de leitura e escrita no contexto educacional brasileiro. Para tal, um dos objetivos é refletir sobre os processos históricos que permitiram que a patologização se instaurasse e apontar como a formação de professores pode abarcar estudos linguísticos e passar a atuar como agente de desconstrução do discurso médico patologizante, que, transformando dificuldades normais em sintomas de patologias, compromete o percurso escolar de tantas crianças.

Publicado
2016-07-04