Redes sociais dos trabalhadores de um Serviço Móvel de Urgência no Brasil: um estudo qualitativo

  • Juliana Cavalcante
  • Regina Maciel
  • Daniele Prata
  • Geraldo Junior

Resumo

As redes sociais representam um assunto de bastante interesse na atualidade e são ainda pouco estudadas no contexto do trabalho de assistência à saúde. Foi realizada pesquisa qualitativa com trabalhadores (médicos e enfermeiros) do serviço móvel de urgência (SAMU) do Estado do Ceará, Brasil. Foram identificadas, no discurso dos entrevistados, três classes de palavras: trabalho em equipe (aspectos subjetivos do trabalho em equipe ou motivacionais), regulação do serviço (fatores ligados ao fazer profissional, permeado pelo compromisso, responsabilidade e subjetividade) e natureza dos serviços (fatores relacionados a “hospital”, “enfermeiro” e “técnico”). As redes sociais no SAMU do Ceará expressam um conjunto de colaboradores que se relacionam para responder às demandas e às necessidades dos usuários de maneira integrada, tentando respeitar o saber e a autonomia de cada membro. Contudo, as redes constituídas evidenciam conflitos existentes quanto à identidade formada e construída pelo trabalhador no serviço, ocasionando conflitos psíquicos no trabalho.

Publicado
2016-07-05