A Narrativa como Dispositivo Metodológico em Clínicas do Trabalho

  • Fernanda Amador
  • Cháris Rocha
  • Janaína Brito
  • Maria Barros

Resumo

O artigo objetiva abrir conexões nos modos “como se diz o trabalho”, ao mesmo tempo em que cria condições de possibilidade para a continuidade do fazer e do reinventar o próprio trabalho. Considera-se que trabalhar não é só uma realização técnica e/ou mecânica. Defende-se que o trabalho não é, também, restritivo à observação crua da tarefa executada, resultado direto da macro-determinação social ou apenas a síntese da relação instituída do emprego. Considera-se o trabalhar como atividade pela qual o sujeito se afirma na relação com seu objeto de trabalho, consigo mesmo e com os outros. A saúde no e pelo trabalho passa pela possibilidade dos trabalhadores exercerem-se criadoramente nestas relações. Para sustentar esse debate, traz a narratividade como um dispositivo operante nas pesquisas no campo da saúde do trabalhador. Como eixo teórico, apresenta intercessores para os conceitos de experiência e atividade, especialmente, Walter Benjamin, Yves Schwartz e Yves Clot.

Publicado
2016-07-06