A iconografia na pesquisa psicossocial

  • Adélia Oliveira
  • Paulo Júnior
  • Luciano Bueno
  • Lívia Canuto

Resumo

Discute a iconografia enquanto instrumento de pesquisa e intervenção psicossocial com crianças e jovens de comunidades litorâneas, à luz dos conceitos imaginação e criação de Vigotski. Analisa o inventário de 72 desenhos, 127 fotografias e 47 vídeos, dos anos 2007-2012. Resultados indicam o uso do instrumento metodológico como autoimagens (desenhos e fotos), registro de ações (vídeos e fotos) e acervo particular (fotos). Os conceitos de imaginação e criação indicam desenhos infantis como expressão da realidade da vida cotidiana; as fotografias demonstram a apropriação de elementos espaciais, históricos e culturais das comunidades e o protagonismo das crianças e jovens no contexto comunitário; os vídeos adicionam movimento e áudio aos processos identificados nas produções de desenhos e fotos. Conclui-se que o instrumento metodológico iconográfico facilita pesquisas e intervenções com crianças e jovens, na medida em que a criação imagética permite a objetivação da imaginação e a expressão de interconexões culturais.
Publicado
2016-07-06