A campanha #primeiroassedio no twitter: estudo na perspectiva de gênero e geração

  • Lucimara Fornari
  • Karen So
  • Emiko Egry
  • Rosa Fonseca

Resumo

O objetivo do estudo foi compreender os relatos de mulheres que descreveram seu primeiro assédio sexual. Método: pesquisa descritiva de abordagem qualitativa. Os dados foram coletados na campanha da rede social twitter denominada #primeiroassedio, durante um mês, entre outubro e novembro de 2015. Os hashtags coletados foram submetidos à análise de conteúdo de Bardin. Os resultados mostraram que os perpetradores foram homens, conviventes próximos no meio familiar e ou com relações de parentesco com as meninas. As mulheres descreveram as multifaces do assédio sexual sofrido, que foram agrupadas nos temas: anunciação da violência sexual no discurso dos agressores; corpo infantil como objeto do prazer sexual; inocência infantil abusada; vergonha e culpa da vítima; e repercussão da violência infantil ao longo da vida. Conclui-se que o primeiro assédio sexual ocorre no cotidiano da família e tem a marca da subalternidade de poder nas relações de gênero e de geração.

Publicado
2016-07-06