A (re)leitura da formação em saúde a partir dos moldes contemporâneos de ensino-aprendizado

  • Bibiana Mores
  • Mariana Vieira
  • Nilce Costa

Resumo

Os Ministérios da Saúde e da Educação no ano de 2005 propuseram o Programa Nacional de Reorientação da Formação Profissional em Saúde – Pró-Saúde, com a intenção de promover a reformulação dos processos de ensino e possibilitar um olhar crítico e ampliado do processo saúde-doença. O objetivo deste trabalho foi analisar as propostas e relatórios aprovados nos editais de uma Instituição de Ensino Superior da região Centro Oeste do Brasil. Trata-se aqui de uma pesquisa documental, de cunho qualitativo. A partir da análise das propostas e relatórios, foram encontradas quatro categorias: historicidade do processo de implementação e desenvolvimento dos programas de reorientação da formação em saúde; avaliação do Pró-Saúde/Pet Saúde; entraves do processo de mudança da formação em saúde e mudanças geradas a partir da implementação dos programas de reorientação da formação em saúde.  Pode-se afirmar que as políticas indutoras de mudança na formação oportunizam a comunicação e interação entre os cursos da área da saúde, por meio do trabalho em equipe aumentando a articulação ensino-serviço e a qualificação do trabalho dos profissionais. As dificuldades e os avanços do processo de mudança da formação em saúde demonstraram que este é permeado por valores, simbologias e readaptações, entre outros sentimentos que perpassaram no perfil dos profissionais, docentes e discentes.

Publicado
2016-07-06