Competências dos cuidadores informais familiares no autocuidado: Autoestima e suporte Social

  • Lisneti Castro
  • Dayse Neri de Souza
  • Anabela Pereira
  • Evelyn Santos
  • Roselane Lomeo
  • Helena Teixeira

Resumo

Desempenhar a tarefa de cuidador informal (CI) requer que o cuidador familiar possua não só aprendizagens relacionadas com a doença que cuida, mas também exige que este adquira novas competências de forma que possa sentir-se orientado e preparado para lidar com a doença e concomitantemente tenha a perceção da importância de cuidar de si próprio. Esta investigação identifica se os cuidadores possuem autoestima e suporte social. O presente estudo, de cariz qualitativo e paradigma interpretativo, foi realizado com 09 cuidadores informais familiares da USF de São João de Ovar (Portugal). A análise de conteúdo foi suportada com o apoio do software webQDA. Apesar dos problemas enfrentados pelos CI os resultados demonstram que os cuidadores revelam um bom nível de autoestima e suporte social em três diferentes dimensões: dos agregados familiares, da família de extensão e dos amigos e vizinhos.

Publicado
2016-07-07