Redes sociais e mobilizações públicas. O movimento de “15 de Setembro”

  • Isabel Babo
  • Célia Silva

Resumo

O movimento “Que se lixe a Troika - Queremos as nossas vidas”, de 15 de Setembro de 2012, em Portugal, surgido a partir das redes sociais digitais e com manifestação na rua, patenteou novas formas de mobilização e de protesto públicas motivadas pela insatisfação dos cidadãos, tal como já vinha ocorrendo noutros espaços públicos internacionais. Utilizando um corpus retirado da imprensa escrita, procedeu-se à análise do acontecimento com recurso a um quadro teórico e conceptual das teorias do espaço público e dos movimentos sociais. Este movimento permite refletir sobre os atuais movimentos de protesto, as redes sociais e a ação coletiva, numa época em que o ativismo se exerce nas ligações eletrónicas – o mediativismo ou netativismo – e na rua. Através dele pretende-se problematizar se estamos face a novas configurações de mobilização, de visibilidade, do agir em público e da criação de um espaço comum, e/ou se estamos perante uma continuidade do tradicional movimento social com incorporação de novos “repertórios de ação”.

Publicado
2016-07-07