Os “despojos” do trabalho científico em Ciências Sociais: O Potencial do conhecimento dos “restos”.

  • Isabel Camalhão
  • Serafim Camalhão

Resumo

Ao longo da vida académica é pedido aos alunos e investigadores provas das suas capacidades de fazer um projeto de investigação científica e de o aplicar no terreno através da pesquisa empírica. O processo de pesquisa é complexo, cheio de escolhas nem sempre fáceis. Por variadas razões, no final da pesquisa ou trabalho académico, fica uma quantidade de elementos excluídos na preparação, da análise e apresentação de resultados. Chamamos a estes elementos “restos” compostos por leituras, dados recolhidos no campo, caminhos de investigação entretanto abandonados, entre outros. Os restos representam trabalho do investigador, o tempo dos participantes, recursos materiais e muita informação útil. O que fazer com os restos ou despojos de uma investigação? Propomos, neste artigo uma metodologia aberta e flexível para utilizar os restos, incluindo um pequeno exemplo prático. 

Publicado
2017-06-27