A interlocução como recurso metodológico para a pesquisa qualitativa

  • Betina Barthelson

Resumo

Com base nos pressupostos teóricos da Neurolinguística Discursiva, será analisado, por um aporte linguístico, um diálogo entre uma criança de 12 anos - que apresentava dificuldades escolares e não conseguia se alfabetizar - e sua investigadora. Esse diálogo aconteceu durante o seu acompanhamento longitudinal, no CCazinho/IEL/Unicamp. A análise qualitativa evidencia a diversidade e especificidades de dados sobre o processo de aprendizagem do sujeito e aponta possibilidades de intervenção em suas dificuldades escolares através de um trabalho orientado discursivamente, embasado metodologicamente no conceito de dado-achado (Coudry, 1996). Tal reflexão opõe-se às formas de avaliação padronizadas - baseadas em testes psicométricos -, às atividades pautadas pela concepção tradicional de linguagem comumente encontradas nas escolas e desqualifica os diagnósticos que vinculam dificuldades escolares às patologias e que posicionam, à margem, crianças e jovens em seu próprio processo de escolarização.

Publicado
2017-07-03